segunda-feira, 26 de junho de 2017

Do que realmente importa

Imagem: Renata Daniella Vargas.
Uma coisa leva a outra e nem sempre entendemos como ou porquê.

Assim é que hoje li uma nota de pesar pelo falecimento de um motociclista e acabei lembrando de uma outra história, a desta postagem do Bayer no Old Dog Cycles.

É claro que imediatamente a gente pensa que a vida é curta e que a gente tem que aproveitá-la, dando valor ao que importa. Mas eu fiquei pensando que precisamos de um passo além...

Porque, ao lembrar desta história, eu fiquei mesmo é a pensar na ex-mulher do cara, não no cara. Não dá para saber dos detalhes da vida dela, nem do próprio cara, de modo que possamos fazer maiores juízos. Mas não é essa a intenção. Pois me basta saber que houve incidente suficiente para que uma pessoa, ela, ferrasse a vida de uma outra pessoa, o cara. 

E isso me leva a pensar em tanta gente que, não importa a frustração e a tristeza que estejam a passar, acham que podem encontrar grama mais verde em terrenos vizinhos. E que, ao se aventurar em tais terrenos, só possuem olhos para sua própria frustração e tristeza, só possuem olhos para seus próprios umbigos, e agem sem se importar realmente com a frustração e tristeza que vão deixar para trás em outros, sem que efetivamente deixem de encarar frustração e tristeza.

Talvez se pense que eu quero fazer alusão à traição em um casal, mas não. E não quero que nos coloquemos no lugar do cara, isso é fácil, mas dela. Pois quem de nós não é tentado? Penso mesmo em qualquer situação em que sejamos tentados a expurgar nossas dores fingindo que não sabemos que este expurgo causa dores em outrem.

Temos pais, irmãos, filhos, amigos... Enfim, mesmo quando não parece ser assim, temos gente que se importa. Note bem: o sofrimento, enquanto neste tempo, aí está até que tudo seja, por fim, restaurado. Todo lenitivo que o ignore é ilusão. E nenhuma ilusão de cessação de nossos sofrimentos vale o causar o sofrimento alheio, e tanto mais quando estamos afetivamente ligados, de algum modo, a quem fazemos sofrer.

De fato, a vida é curta e que a gente tem que aproveitá-la, dando valor ao que importa. Acima disso tudo, porém, a gente precisa desesperadamente de discernimento sobre o que realmente importa.

O que fazemos neste tempo reflete na eternidade. E, meu caro, não importa se você não acredita na eternidade. Por isso, pense bem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente o que quiser, concordando ou discordando, sugerindo, elogiando ou criticando, mas seja sempre educado. Qualquer comentário que seja ofensivo ou vulgar não será publicado.
Comentários de anônimos sem assinatura também não serão publicados, qualquer que seja seu conteúdo. Nem comentários puramente marketeiros.